domingo, 29 de abril de 2012

E agora, é só com chopp!


Passando tempos sendo escondida. Sendo deixada de lado, nem diria isso porque pra sermos deixadas de lado precisamos ter estado ou ocupado uma posição anterior. O que nunca aconteceu!
Meu bem, você já passou por isso?
Sai com um homem por mais de três meses mas nunca sai com ele de fato. Locais públicos? Nem pensar! E você sabe o motivo?
Sabe sim, no fundo sempre sabemos só não queremos assumir. Você pode não acreditar, mas isso existe! Acontece... E aconteceu!
Programas adiados, telefonemas esperados, mensagens nunca recebidas, respostas nunca encontradas. Intenções nunca concretizadas.
Um chopp. Alguém poderia me esclarecer a dificuldade que existe em se marcar a data para um chopp e de fato tomar esse chopp?
Porque eu não entendo!
Se você já se dispôs a sair com outra pessoa, não a faça perder o tempo dela só porque você até hoje não aprendeu a conquistar alguém. Porque mesmo se a vontade for de um sexo casual, a conquista não está em um corpo bonito e sim em um comportamento atraente.
Será que no Universo Paralelo de alguns homens um chopp significa igreja, padre, filhos e um “até que a morte nos separe”? Será?!
Não estou aqui assinando meu atestado de idiota. Talvez de piranha. Afinal todas nós somos um pouco!
Porque me vulgarizei dessa maneira?
“Com esse rosto lindo e um sorriso encantador” se faz peçonhento ao ponto de fazer uma próxima vítima e não satisfeito, me usa, me abusa, me come e me obriga a ser alguém como ele.
Eu disse obrigar? Não, eu me enganei. Se fizeram isso com você ou comigo, é porque deixamos.
E você minha cara, assim como eu, FOI BURRA!
Se existem os sedutores baratos é porque ainda existem as trouxas que insistem em dar esse ibope escroto pra esse tipinho medíocre!
Prazer, meu nome UM DIA FOI trouxa!  
E agora, só com chopp!

Yasmin Bardini.

Não é só triste, é amargo.


Não tem pior sensação do que se sentir menor do que uma situação que você deveria ser mais. Não, mas o pior é não ter como fugir de tal reação, a questão é deixar isso pra lá. E é o que eu vou fazer. É o que eu vou deixar, é o melhor. Não vale a pena um estresse consumir e você uma situação típica do esperado deixar você se sentir tão pequena e instável. Você só vive o que você quer. Se você está numa situação caótica ao ponto de achar que não vale a pena, caia fora. Se você acha que vale, tente melhorar...  Se você não tenta, você não sabe até onde você vai... Você vai? Você nem sabe onde você é capaz de ir... Você é capaz de chegar a lugares melhores ou piores, mas você não sabe onde você está. Talvez você não se conheça tanto ou tão bem assim. Você espera demais das pessoas, não é porque você é muito ingênuo, mas porque você realmente espera uma consideração inexistente de uma posição que você inocentemente ou malandramente acha que é a sua.
Não sei, a vida é muito mais ampla do que uma simples situação. Você não sabe, mas o mundo estará sempre te esperando pro melhor, até que você piore novamente, e sempre terá novas portas abertas. Não dá pra ser feliz eternamente, não dá pra conquistar seus próprios trunfos. Afinal, o que é vitória pra você é visto como mera hipocrisia aos outros. 
Aí entro num outro estado que já percebi antes, não estamos preparados pra muitas verdades, preferimos o mundo utópico da Alice, preferimos o estado explorável do bem estar enquanto as verdades inconsequentes ficam de lado esperando o momento certo para serem ditas.
Não quero mais chorar... Não quero mais estar em segundo lugar, ou será que ele não percebe o mal que ele me faz me deixando como segunda opção em relação as prioridades dele?  Não sei, ele diz que não. Me forço a acreditar que sim... Saudade do amor infantil onde todas as crianças têm direitos iguais, de rirem e irem para lugares legais...
A vida quando se cresce não é um mar de rosas, você encontra um parceiro, um companheiro que nunca vai te amar como você gostaria. O amor dos seus pais incondicional te faz uma falta imensa nessa hora.
A verdade é que o bem estar deve estar em você mesma, mulher, seja importante e foda-se o que acham sobre isso, afinal, só você mesma sabe o que você sente sobre qualquer ação.
Ele te trai, fica de papinho com várias mulheres, te mantém escondida, mas afinal, ele é tão especial e tão bem querido que você acha que nada disso importa. Afinal, se ele está com você e porque ele quer, mas você quer mais... E vá atrás, porque se você é justa, merece esse tipo igualitário de justiça. Talvez você não enxergue o que seja justiça pro outro, mas enquanto você tem a sua posição, mantenha. Você vale muito mais do qualquer pessoa, enquanto não tem filhos.
Aproveite sua juventude porque inúmeras vezes você deixa passar, achando estar fazendo a coisa certa, besteira, afinal se ele tiver que dar mole pra outra vagina ele vai dar e nem vai lembrar o quanto isso vai te afetar. Não... E ainda vai dizer pra você é besteira.
Já dizia minha vó, quem muito abaixa o cu aparece, e é verdade, existem coisas que você pode guardar pra você, e se for dividir, divida com alguém que vá concordar pelo menos com o que você sente, vai deixar você sentir em paz. 
Siga o protocolo de um bom relacionamento, porque se você não seguir serás julgada de maluca, doida, ou sei lá como relacionar esse fato. Tem gente que não quer saber o que os inferiores sentem, e nesse momento pode se por como inferior incompreendida. É assim que eu me sinto agora. Não tem importância, as coisas e situações que passei, porque o cara que está comigo dá mais importância a reação de outras pessoas, o sentimento destes, do que os meus e depois vai vir com o papinho que "Nossa, estamos nos fazendo mal”, o momento do "Aham, claro...”. E provavelmente a culpa é minha, por mais uma vez ser menos que você, desculpe, mas Deus não me deu seu status.

Penélope Pren. 

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Estamos tentando...


Estamos tentando curar as feridas, estamos vivendo algo que nunca vivemos juntos.
Estamos tentando como nunca tentamos.
Estamos sendo um par.
Eu estou tentando ser feliz mais uma vez.
Ele está tentando não ter o peso de ser feliz mais uma vez.
Eu estou vivendo o que eu sonhei.
Ele está vivendo o que não pensou em viver.
Eu estou aqui... E agora, ele também.

Íris Prieto

Só tem oral, pode ser?


Qualquer que seja a situação, para um homem um boquete resolve. Até mesmo em jogos de futebol eles falam aos amigos: "Chupa meu pau!". Pra eles na verdade é quase um prêmio, sendo que a maioria acha que nós não gostamos muito de tocar bem afinadinho o instrumento deles! Ledo engano... 
Nada melhor do que proporcionar e controlar o prazer do seu homem, ouvindo os gemidos de vontade! Qualquer que seja o momento o boquete é um ótimo finalizador ou um  “great start”.
Já para as mulheres o boquete é um nome feio e uma falta de elegância quando pronunciado, todavia, em sua maioria, as mulheres curtem muito o fato de estarem literalmente com a boca no trombone.
Qual é o melhor tipo?

1- Boquete Saca-Rolha: Aquele que a mulher coloca tudo na boca e depois suga como se quisesse tirar o instrumento dalí.
2- Boquete Ardente: Nada como um friozinho nas ilhas de baixo, chupe aquela halls preta e manda ver!
3- Boquete Pirulito: Você agarra o instrumento, lambendo- o de sua base até a cabeça com cara de criança contente, pra finalizar, quando o pirulito acabar, chupe as "balas".
4- Boquete Nojinho: É aquele que no final você ganha de brinde todo o tesão do seu parceiro embalado pra viagem, e tem que fazer cara de quem tá AMANDO. Mas ninguém, no fundo, gosta muito de ganhar esse brinde. Mas pra eles, é o ápice do tesão,  então , façamos e com muita vontade.
5- Boquete Acontece: Aquele que quando você percebe o pinto já está na sua boca. E aí, que se dane também... Nós gostamos mesmo.
6- Boquete Orquestrado: É aquele que o diabo da peste do homem cisma em controlar o ritmo, pegando você pela cabeça, te fazendo quase vomitar porque põe o pinto quase na sua campainha e ainda soltando suspiros de acordo com o ritmo frenético.
7- Boquete Senta lá, Claudia: É aquele que você se encontra sem tesão algum, rezando pra ele explodir de prazer e te deixar em paz! Você está lixando as unhas e o cara não goza nunca, ele te chama de piranha gostosa e você quase responde: "Aham..."

Homens amados, sejam pequenos ou grandes, façam bom uso!  E não deixem de tomar aquele bainho esperto, antes do vamos ver. Afinal, você não quer o "senta lá", quer?
E aí, qual o seu tipo?

Yasmim Bardini e Penélope Pren.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Da cama ao coração... do sexo à paixão.


O que no começo parece algo carnal do qual se tem controle pode tomar um rumo diferente.
Conseguir controlar os pensamentos? Ok é fácil, mas infelizmente o coração não, bichinho filho da puta esse tal de coração! 
A gente acha que tem domínio, mas encaremos a realidade: Não temos, misturamos as coisas ainda mais quando a pessoa em questão não deixa transparecer nenhum sentimento além de tesão e sexo.
É aí que percebemos que estamos caminhando em sentido contrário e que esta pessoa não pode corresponder ao que então almejamos.
Nada estabelecido, nenhum vínculo, somente cama! Cobrar algo? Impossível. 
E então um belo dia você dá de cara com o sujeito com outro alguém (sim vamos ver é FATO), tapinha sútil e carinhoso no nosso rosto para que acordemos para uma situação que por mais que queiramos não está existindo, é chegado então o momento crucial: Tchau, pois destroçar meu coração não chuchu, mamãe não me criou para isso! 
Bloquear, excluir, o que seja, mas no coração você não fica, vai sair a murros e pontapés e devolve a PORRA da chave! 
E depois da raiva, que baixa a poeira paramos e racionalizamos entendemos que este sujeito foi importante, pois conseguiu meter o pé na porta de algo que muitas vezes queremos deixar adormecido, despertar alguns sentimentos nas pessoas não é algo tão fácil, e aí é preciso ser muito mulher, convicta, madura e de personalidade firme para dar a mão à palmatória e tirar o chapéu para alguém que por mais que não esteja com você te mostrou um emaranhado de sentimentos que te ajudaram a crescer. 
E depois que você cresce que aprende a olhar mais profundamente no espelho consegue olhar para trás e enxerga que o sujeito foi um degrau e então se, contudo por mais difícil que tenha sido você acreditar que foi superior o tempo todo, manteve uma postura, não entrou em conflitos, barracos desnecessários e não provocou cenas histéricas é possível que ainda traga essa pessoa novamente para sua vida e faça crescer uma amizade, pois se conseguimos dormir ao lado dos amigos, porque não ter como amigo alguém com quem nos deitamos várias vezes?
Porque no final o sujeito nada mais fez, do que despertar sentimentos bons, mas que não tiveram o suporte que queríamos naquele momento.

Dri Cassimiro.

Adriana Cassimiro (Dri Cassimiro) é amiga Dellas e escreve com co-participação.
Siga Dri Cassimiro no Facebook: http://www.facebook.com/Dri.Cassimiro .

Indo embora, ele é mais lindo ainda!


Salivei pensando em você.
Salivei como se pensasse no prato mais delicioso e apetitoso da galáxia. 
Salivei quando pensei em como é bom te devorar. 
E que a hora que eu quiser posso te saborear.
Salivo, salivo, salivo pensando  em você.
Você não é o homem da minha vida, não é príncipe encantado, longe disso. Você é burro, cínico, chato, só fala  abobrinha. Mas tem um sexo tão  louco, selvagem e maravilhoso!
Você me completa na carne e me completa mais ainda quando vai embora. 
Lindo e satisfeito.
E mais perfeito ainda por não ser meu.

Yasmin Bardini.

Está sempre comigo.

É doce, mas pode ser amarga.
É um sonho, mas também pode ser um pesadelo.
É uma lembrança, mas também um tormento.
Faz mal, mas faz bem.
Passamos a vida sentindo. 
O ontem está junto.
É mais forte que o amor e lhe causa dor.
A fotografia a faz ficar explícita.
Está em um bar, em um número, em um gesto...
Acompanha a morte, mas pode haver muita vida.
Se sacia com um abraço, apenas o português a define.
O que é?

Íris Prieto.

Mentira? Não, sou super sincera!

Não tem desespero maior no mundo do que ter a possibilidade de ser descoberta. Teu coração te entrega, com tamanha carga de adrenalina que percorre teu corpo. Quer descobrir se uma pessoa está mentindo? Coloque calmamente a mão no peito dela. Saberás. Os olhos mentem, o coração não.
Afinal, me puna a primeira que nunca disse: "Amor, é só um amigo!", mas na minha mente eu já dei umas 10 vezes para ele. A mentira é desastrosa, e nossa mente é programada para lembrar de fatos, logo logo, você vai se enroscar nos falsos fatos! Aí entra aquele desespero todo.
Aproveitando a mentira, que mulher nunca fingiu estar gostando muito de transar, só pelo prazer de saber que ele está se amarrando em estar ali? Que ele está louquíssimo por você? A verdade é que se você homem, dominar uma mulher sexualmente, ela vai realmente pegar no seu pé, porque são poucos o que conseguem tal sintonia. Mas acredite, muitas já mentiram, dizendo que você é maravilhoso! 
Ah! Ela disse que você transa muito bem? O que? É a segunda vez que você transou com ela? Ok! Ela mentiu! Encare isso.
Apesar de estarmos sempre julgando os mentirosos, não estamos prontos para certas verdades. Não somos um poço de sinceridade, então por favor, não fale isso em uma entrevista de emprego.
Enfim, e quem não souber aprender com as mentiras... Será afogado por elas, como é que se diz? Ah... #ficaadica. (Hahaha).

Penélope Pren.

Todas as cores do amor.

Tanta gente por aí!
Tanta história se cruzando. As pessoas se conhecendo e descobrindo todos os dias, que não conseguem viver umas sem as outras.
Há quem goste de cabelo verde, de alargador de orelha. Há quem seja hippie ou meio rock ‘n’ roll. Somos diferentes. Sabemos disso mas ainda olhamos torto para algumas situações.
Eu, você, todo mundo!
Não se culpe. Mas tente ser melhor. O amor se faz presente até mesmo nas diferenças.
Quando a menina do cabelo verde e cheia de cor pelo corpo gosta do“mauricinho”.  
Quando o lutador de jiu-jitsu gosta da menina nerd.
Quando os rapazes se querem e as moças também.
É tanto amor que não cabe nas mãos e escorre pelos dedos do Mundo!
Porque o que importa mesmo ou o que deveria importar é o amor, o cuidado e o carinho.
E quanto ao resto? 
Quem é mal –amado ou preconceituoso precisa parar de se preocupar com o resto.
Afinal, ninguém vive com o que sobra e sim do que transborda do coração! 

Yasmin Bardini.

Sua hora.


Tem coisas que acontecem em nossas vidas que jamais seremos capazes de entender no momento que acontecem.
Mas depois de uma semana, dois meses, um ano, ou até cinco dias, podemos ver com um olhar diferente.
Sabe aquele seu amigo que furou a noite mais perfeita? 
Que no dia seguinte descobriu que teve uma briga generalizada na tal festa bombástica?
É ai que agradece a todos os santos pelo seu amigo ter ficado em casa.
Sabe aquele trabalho que era o dos seus sonhos, mas não conseguiu passar na primeira entrevista?
E logo depois surge um nem tão bom assim, mas que além de um trabalho ganha uma família.
Tudo na vida tem um motivo.
Não queria entender nada que se passa hoje, na hora da fúria ou da alegria.
Não procure o porquê de nada, ele vem até você na hora certa.

Íris Pietro

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Sensualidade, nós temos!

Apague a luz, acenda as velas, compre pétalas, refresque o ambiente, um bom vinho, taças bonitas, aquela música excitante...
Compre um vestido novo, esbanje na maquiagem, faça chapinha, abuse no enchimento do sutiã, coloque um salto bem alto...
Faça uma carta de amor, compre um presente, uma comida especial, deixe as crianças com a avó, alopre na lingerie...
Cada uma tem seu melhor jeito, mas abuse da sua sensualidade! Abuse do seu rosto bonito, dos seus peitos no lugar. Abuse do seu corpo, excite-se! O faça pirar... 
Prenda-o com seu cheiro. Toque nele, faça ele se sentir vivo.
Sensualidade não é pornografia, é pura elegância! Trabalhe seu "carão" sedutor, seduza, ouse! Se você não fizer, alguém fará e ele vai gostar!
Mulher, seja gostosa! Se sinta gostosa! Você é gostosa.
Jogue os cabelos, alopre no olhar... Faça lembranças deliciosas, para ele nunca mais esquecer.
Afinal, ele, é o seu vício...

Penélope Pren.

Mexeu com a minha amiga? Então toma, queridinha!

Sempre detestei aquele tipo de gente “neutra demais”, “sem opinião demais”, sem rosto e sem expressão. 
Sempre ouvi que tomar partido em uma briga que não é sua, é burrice.
Afinal esse tipo de pessoa prefere rasgar o próprio rosto com um sorriso pra manter intacta a política da boa vizinhança.
Eu sempre fui o óleo dessa água, o 80 desse 8, o ódio desse amor ao medo de se expor.
Para mim, se algum bonito ou bonita cometer a insanidade de mexer com um dos MEUS, tem que estar preparado para a  3ª Guerra Mundial.
Vou te odiar, mesmo! Vou implicar e não vou deixar essa aversão passar desapercebida durante aquelas conversas vazias mantidas pelos nossos amigos em comum para tentar suavizar essa animosidade, quase palpável.
Se precisar vou fazer comentários indesejados sempre com um sorriso no rosto, com o único intuito de te deixar mal.
Compro quantas brigas forem necessárias para manter em pé e feliz quem eu amo!
Então o recado está dado:  Mexeu com eles, mexeu comigo!
Deu pra entender, querida? 

Yasmin Bardini.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Um tributo à Legião.


Vamos vivendo no meio do povo, sofrendo as consequências ilegais das nossas experiências, muitas vezes encarando como "tempo perdido", nunca será. Estaremos sempre à prova para aprender com "pais e filhos", com as magias dos "índios, com "Eduardo e Mônica" ou sejam lá quem for. 
E quando estamos cansados, buscamos um "vento no litoral" mesmo que tenhamos que nos deparar como uma noite como essa porque "hoje a noite não tem luar". Nesse "teatro dos vampiros", vamos compartilhando todas as emoções que "há tempos" buscamos com "perfeição". "Quase sem querer" nos metemos em furadas, amamos e "será" que vamos conseguir aprender "como se diz eu te amo?" ou quando dizer?
"Mais uma vez", vamos arriscar nossos princípos na selvageria da "geração coca-cola". "Eu sei" que nem sempre teremos "um dia perfeito", mas acredito nos "meninos e meninas", acredito na "química" entre o ser humano, acredito que "daniel na cova dos leões" e outros indivíduos que sejam, sempre estarão prestes a passar por mais essa fase...
Acredite! "Quando o sol bater na janela do teu quarto", vá dominar o que é seu!

Penélope Pren.

Me deixa em paz!



A raiva de todo mundo esperar de mim o que eu não posso e não quero dar.

Tenho vontade de sumir desaparecer quando o assunto é falar da minha vida.
Parece até que é um mar de rosas, tenho muitos amigos, alguns colegas e uma família linda.
Tenho um monte de gente me monitorando, e querendo comandar a minha vida como a porra do jogo de xadrez.
Tire o Xadrez de seu armário limpe-o e divirta-se.
Tenho várias chances, tenho várias oportunidades, tenho vários caminhos e tenho apenas uma verdade.
Não adianta brigar por nada que a pessoa não queria.
Não adianta me chamar na xinxa, posso até concordar com tudo que você diz, isso não significa que irei fazer o que você fala.
Não me atire nenhuma pedra, porque nem teto de vidro você tem.
Não sou quem você espera que eu seja, não sou uma bonequinha de porcelana e nem uma filha absurdamente carinhosa.
Sou feita de carne e sem interesse nenhum pro que você espera da minha vida.

Íris Prieto.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Preguiça... preguiça!


Eu sou a rainha da preguiça, consigo dormir três vezes ao dia, se assim puder. Consigo acordar com sono e sonhar sem dormir. Consigo bocejar por hábito e cochilar em qualquer lugar. Sou capaz de acordar, já imaginando a hora que eu vou poder me recolher no retiro da quietude novamente.
Afinal, a preguiça faz parte de outros sete pecados que te impede de cometer os outros seis, por estar com preguiça demais para sair de casa, levantar da cama, mudar o pijama. Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje, aliás se der para adiar até depois de amanhã tá valendo, veja só, meus melhores trabalhos na escola foram feitos de véspera. 
Mas da galera agitada, a frase que mais desperta a minha pequena vontade de abalar as estruturas é a seguinte: "quando eu morrer, terei muito tempo pra dormir!" Mas aí eu penso nas possibilidades de me deparar com um umbral e eu preciso estar descansada para poder chegar na minha nuvem Ortobom!
Gente, bora descansar que a viver cansa demais, a vida é curta e as olheiras sim serão eternas! Não faça barulho! Oito horas de sono, o médico aconselhou, aumentei pra doze porque seguro, morreu de velho! 
E eu quero ver meus bisnetos! Boa noite!

Penélope Pren.

É brincando que se vive!


E a vida tem a alegria do confete, o cheiro bom da chuva e o gosto de algodão doce.
E ela simplesmente acordou daquele seu mundo infestado de fantasias e quis viver! 
Hoje mais do que nunca. 
Ela quer ir pro bar tomar sua coca-cola com gelo, torcer pro seu time, rir com as amigas, flertar com o moreno que hoje é o alvo do seu querer. Ela quer celebrar a alegria que é poder errar, rir e chorar. 
E não mais pensar em todas as chances dadas à pessoas que não mereciam nem dar "bom dia" à ela...
Tempo perdido, rasgado, queimado e gasto do qual ela não se arrepende nem por um momento, nem por um segundo.
Porque afinal, se nós não formos até o fim nunca saberemos se acabou! 
E ela está aqui viva, pulsante, pedindo e querendo.
Porque a boneca acabou de descobrir que o mundo é muito mais interessante quando a gente aprende a brincar.

Yasmin Bardini.

Vamos ao banheiro comigo?

Banheiro feminino é um dos poucos lugares que conseguem me tirar do sério só de pensar a respeito.
Entre mitos e verdades, em qualquer lugar que você vá e que possua um toillet exclusivo para público feminino, é fato de você se deparar, pelo menos, com três situações clássicas:
1 – FILA!
Banheiro feminino SEMPRE tem fila. Mulheres, malditas, tem o péssimo hábito de se segurarem até as últimas, e aí quando resolvem por fim deixar a natureza falar mais alto, é muito xixi pra pouca bexiga, ou seja, demoram e deixam as amiguinhas do lado de fora esperando por horas...
2 – O BANDO.
Quantas vezes você viu uma mulher se levantando para ir ao banheiro sem perguntar a amiga mais próxima: “Vamos comigo?” Eu vos respondo: NUNCA! Isso nunca aconteceu na história da humanidade. Mulheres não vão juntas ao banheiro por uma questão fisiológica e sim porque possuem uma necessidade patológica de fazer certos comentários que com certeza não cairiam bem à mesa.
3 – TIRO AO NÃO ALVO.
Por mais incrível que pareça, os banheiros femininos costumam ser duas vezes mais sujos que os masculinos. Homens fazem xixi em pé com extrema facilidade. Mulheres tentam e na maioria das vezes dá errado. CLARO QUE VAI DAR ERRADO, NÃO FOMOS FEITA PRA ISSO! Mas a gente insiste... E azar de quem for o encarregado pela limpeza, porque esse aí sofre!
Pois é, mulheres, em sua grande maioria, quando o assunto é fazer xixi em banheiro público, são preguiçosas,  tagarelas e péssimas de pontaria.

Felícia.

domingo, 22 de abril de 2012

Encaixa-te Sr. Fulano ou você está fora!

O que importa é ter uma posição: um “status”.
Muitos estão se adequando aos moldes de uma sociedade que lhes condiciona a um padrão onde todos parecem ter saído de uma fábrica, embalados a vácuo e colocados em uma prateleira!
Meninas se vestem todas iguaizinhas, fico impressionada ao ver quando saio na noite, todas com a saia colada que vai até o pescoço dando suporte para segurar o peito em um tomara que caia e bolsinha da vovó estilo Channel (fake, claro), enquanto isso os meninos andam de um lado para o outro como se estivessem em um supermercado, olhando pra ver qual lata está menos amassada para poder adquirir o produto.
Eh, ter um “status” nesse novo mercado não é fácil, encaixa-te Sr. Fulano ou você está fora! Ou então vai lá Sr. Fulano alcança teu lugar no topo, mas olha chuta algumas cabeças para conseguir isso. Ok?
Ah, mas estamos no país do futebol certo? Então não tem problema! Se for para marcar um gol e chegar nesse “tal status” vale tudo, aliás, por falar em vale tudo este esporte também está em alta, pois pra valer tudo você tem que ter músculos, caso contrário também está fora, não alcançará sua posição a não ser que você tenha bala na agulha e faça aquele ciclo perfeito de GH com uma combinação perfeita dos mais caros suplementos alimentares.
Nessa busca por um “status” amigos encontramos aos montes, pois penso que nossa sociedade volta a viver um momento deveras narcisista reconhecendo apenas aquilo que for espelho, enquanto afetos que compreendem amor, gratidão, gentileza e humildade continuam sendo chutados para longe. As essências mais puras caminhando em direções contrárias, o medo tomando conta e dificultando o reconhecimento das entregas que acabam caindo nas mãos erradas e os impulsos sendo usados como se fossem cartões de visita.
E enquanto isso no Palácio da Justiça... o status continua quo, se não ficar pior, os chinas continuam na 25 a todo vapor com a bolsinha da vovó , a Marilac incentiva o ridículo, o Neymar pega a menina da saia no pescoço que ainda não está com a lataria amassada e algumas bundas inteligentes permanecem na busca da bermuda que um dia pode virar gravata.

Dri Cassimiro.

Adriana Cassimiro (Dri Cassimiro) é amiga Dellas e escreve com co-participação.
Siga Dri Cassimiro no Facebook: http://www.facebook.com/Dri.Cassimiro .

sábado, 21 de abril de 2012

Me diz você...

Mulherada, eu gostaria de lhes fazer uma pergunta!
Quem se habilita a me matar de prazer com a verdade?
Algo que sempre me instigou e continua me instigando: porque nunca queremos o bom rapaz?
Porque os mistérios das ligações não retornadas e das mensagens não respondidas conseguem nos atrair tanto e nos encher de tesão?
Será o nosso lado Indiana Jones, louco por aventuras, querendo nos fazer desbravar terras nunca visitadas?
Ou será que mulher tem vocação pra drama?
Eu aposto que você mesma já se perguntou isso! To errada?
“Como posso querer aquele jagunço infeliz?"
Porque o Sr. Certinho, mesmo fazendo de tudo, não consegue me despertar metade do que me desperta o
Sr. Todo Errado?
Tenho pra mim, em minha humilde opinião, que está tudo relacionado com o prazer da conquista e com a maldita vontade que toda mulher tem de transformar o irremediável galinha em homem da sua vida.
E você, doce princesa, já chegou a sua conclusão?

Yasmin Bardini.

Guerra de egos


Tempos modernos onde as mulheres andam se destacando e atacando com extrema voracidade tudo o que veem pela frente.
Culpa do feminismo? Longe de ser... Capacidade.
Pensando sobre o assunto, me ocorre a ideia de que desde os tempos mais primórdios, os homens inferiorizam as mulheres na tentativa de evitar que elas os superem. Porque sim, nós somos capazes. O nosso grande problema é que ao invés de sermos como eles e nos orgulharmos umas das outras, nos unindo, nós nos tornamos rivais. Rivais, inclusive, de nós mesmas.
Quando mulheres se arrumam, por exemplo, na maioria das vezes a intenção é superar as outras que estarão dividindo com elas o mesmo ambiente. Poucas são as vezes em que elas se arrumam para elas mesmas ou para os seus e os outros homens.
Mulheres competem e disputam entre si o tempo. Uma guerra fria. Uma guerra abertamente declarada, que ninguém assume, mas que todos sabem.
Se para os homens sempre foi uma guerra de sexos, para nós, mulheres, sempre foi uma guerra de egos.
Enquanto não mudarmos essa postura, como mulheres capazes que somos de sermos melhores, não conquistaremos nem a nossa casa, que dirá o nosso mundo.

Felícia.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Chega de pobreza!

Que mulher nunca se aproveitou de uma situação por dinheiro? 
Só porque eu viso os números de uma conta, eu não presto? 
Todo homem tem um cartão de visita. E tem também um VISA.
Um rosto bonito... Um estilo... Pode ser um Honda ou uma BMW também...
Eu particularmente me interesso bastante por quem tem o carro do ano, só depois que conheço a fundo uma pessoa, ué qual o problema?
E essa pessoa com bastante grana e com status social, pode ser sim uma pessoa divina. E não só pode como deve.
Porque sou da teoria que de pobre já basta eu. 
Então vamos parando de julgar uma realidade que não é sua, de um interesse que não é o seu. 
Já se foi a época de "Um amor e uma cabana" ou que "Se não tem dinheiro, o amor intera". 
Continue vivendo de amor que eu continuarei vivendo de cifrões, afinal meu bom gosto me faz gostar dos perfumes de Paris, maquiagens da Itália, Design de Nova Iorque e um boa casa. Sabe, que cada um tem um dom. O meu? É ser madame! Daquelas que levam o cachorro pra fazer a unha. E veremos quem estará melhor daqui a 10 anos. Ok? Amada!

Iris Prieto.

Me divorciei da covardia.


E eu tentava agradar.
Tentava não fazer o clima pesar por motivos torpes.
Ou nem tão torpes assim, para ele perceber que nos meus braços era o melhor lugar do mundo.
E era. Mas ele não percebeu. 
Eu aceitava tudo na esperança de ele se sentir tão em casa que nunca mais quisesse ir embora.
Mas ele foi. 
Lutei comigo mesma o tempo todo. Deixando de ser a mulher que eu sou para ser a mulher que eu achava que ele queria.  Em vão...
Na nossa cabeça é assim, achamos que quanto mais aceitarmos, mais legal vamos parecer.
Quanto menos retrucarmos, mais interessantes vamos nos mostrar.
Mas pensando bem agora, acho que a única coisa com a qual vamos parecer é com o descaso.

"Essa mulher não reclama, não se expõe, não fala, não mete bronca... Nunca! Tem alguma coisa errada..."

Para eles passamos a imagem de estarmos satisfeitas com qualquer coisa. De não nos abalarmos por nada e isso pode até parecer ÓTIMO, mas só PARECE. 
Quem não se abala, quem não reclama, quem não enlouquece vez ou outra, não se importa!
Hoje sei que por mais erros que eu possa ter cometido, ele não ficou porque não quis. Porque pra ele nunca foi tão importante quanto foi pra mim. 
Fazer o quê?  Às vezes, acontece... 
Sei que a qualquer momento alguém vai aparecer na vida dele e ser tudo o que eu não fui pra ele, simplesmente pelo medo de perdê-lo.
Na vida se ganha e se perde. E daqui pra frente eu posso até perder, mas nunca mais eu perderei por ter escolhido ser a única coisa que não sou: Covarde!

Yasmin Bardini.

Falsidade sentimental, amiiigo fake!

Pior do que uma grande inimizade é um inimigo escondido atrás de um sorriso competente. Atrás de amigos bonzinhos, que tem doçura na boca e malícia no peito. Aquele que só espera sua fraqueza, espera você mandar mal e te destrói a imagem e te vence. Ele senta com você, convesa, ri, quer saber da sua vida. Sabe demais, sabe de tudo.
A artimanha dos falsos aliados desinibidos de amizade, é enganar. É ficar do lado mais forte, é a esperteza, é omitir e alterar fatos. É convencer e persuadir, você e sua trupe. Até que alguém desconfia... O maltrapilho perde a força, mas não perde a essência. O medo de perder é o mais relevante e todas as armas são viáveis para tais traiçoeiros...
Cuidado com um rosto que sorri todo dia! Cuidado com quem sempre sabe tudo. Você vai meter os pés pelas mãos... Cuidado com quem é humano demais. Todos tem instintos irrefutáveis.
E se for pra se dar ao desfrute de confiar, confie em quem fala demais, quem fala de menos esconde o jogo e espera pra dar o bote. Não é a toa que rastejam sem serem percebidos, são mais fortes do que outros e que são chamados de cobra. Mas acredite, a verdade tarda mas não falha, não se precipite. Firmeza e delicadeza ao lidar com esse tipo vulnerável... Imbobilize-o com sua verdade, e deixe que o peguem pelo pescoço.

Penélope Pren

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Piriguete, eu sou!

Sexta-feira, dia de azaração e lá vou eu me jogar noite adentro por entre os bares e as boates mais badalados do momento.
Depois de perder algumas horas no salão escovando meus cabelos compridos e dourados, pinto de vermelho minhas longas unhas de acrigel. Chego em casa na intenção de escolher a roupa perfeita para chegar e atrair os desejosos olhares masculinos e os invejosos olhares femininos que sempre vem de encontro ao meu, tão cheio de segundas intenções disfarçadas sob minhas sobrancelhas de henna minuciosamente desenhadas.
Abro o armário a procura de um vestido. Quanto mais curto melhor, quanto mais apertado mais sexy, quanto mais decotado mais chances eu tenho de conseguir o que eu quero.
E o que eu quero?
Quero um cordão de ouro bem grosso, acompanhado de músculos bem torneados, dando um rolé em um carro do ano, esbanjando comigo a enorme quantidade de zeros existentes em sua conta bancária bem recheada, para no final da noite dar aquela esticadinha.
Afinal de contas, piriguete que é piriguete, não dá, empresta!

Felícia Bacci.

Toda patricinha, só aprende com o vagabundo.

Ela era uma garota patricinha da cidade que se apaixonou pelo vagabundo. Sua mãe, sue pai, e seus mimos ficaram espantados com tanto contraste. Ela fazia faculdade e terminava seu cursinho de inglês, e ele ainda no supletivo do segundo grau. Ele não mais que outros caras, era lindo e sabia o que falar. A patricinha por sua vez sempre gostou de bajulação e esse cara veio acrescentar.
Depois de alguns meses juntos, entre brigas e desacertos, seus pais enlouqueceram. Ela saía toda noite e abusava nos decotes o menino era do tipo mulherengo. 
Mais meses se passaram quando veio de repente aquela briga infernal, ninguém entendia o que aquela menina, via naquele pepino.
O mistério estava naquele corpo suando e se mexendo, esquecendo o mundo. A patricinha adorava quando ele metia nela e a chamava de gostosa, e depois de uns vais e vens, levava uns tapinhas e uns puxões de cabelo, ela gostava daquele clima e quando ele pesava em cima dela e dizia cala boca. Ela tinha um tesão entre as pernas, que só mesmo um vaganundo poderia dar, enquanto o príncipe a dava presentes e lisonjeava seus pais, o vagabundo a comia. E era isso que ela queria.
Eles continuaram brigando. Continuaram trepando. E depois de uns anos... terminaram.
A Patricinha volta pro seu princípe, mas agora, ela tem o sexo forte, nas mãos.

Penélope Pren.

Eu quero é dar!


Ela quer! Ela quer sentir o pulsar do tesão no ritmo daquele desejo que só eles fazem surgir.
Ela quer falta de ar, gemidos incontidos, suor, muito suor. 
Cama batendo na parede compondo aquela trilha sonora que todos nós conhecemos muito bem.
Carne contra carne. À cada arremetida dele, um gemido alto, abafado e cego. 
E ela pensa: "Nada melhor do que ver e sentir o meu homem morrendo de prazer entre as minhas pernas..."
Ele suado, ofegante, querendo mais, sempre mais! 
Ele faz com força. Mas não machuca, nem passa perto e ela quer quer mais. Pede e implora:
"Não para,vem... Mais forte..."
Ele cada vez mais dentro. Sussurrando em seus ouvidos aquelas sacanagens que os dois adoram. 
E ela rebate, desce do salto. Naquele momento ela não é mais a mulher educada que ele conhece.
Ela é uma completa safada. A safada que é dele.
E não importa se ele é o errado, se eu não sou a certa. Se nós combinamos ou não. E tão pouco me importam as caras feias e as expressões de reprovação quando eu pronuncio o nome dele. 
O que tem sido posto em primeiro lugar sempre é a minha vontade, desde que me conheço por gente!
E pra ser bem sincera... Não há sentimento que se compare com a minha vontade e nem lugar que se compare com a nossa cama.
Então pra quem gosta muito de apontar o dedo e profanar sentenças, esquecendo dos tantos erros que foram e estão sendo cometidos, o meu dane-se... Porque enquanto vocês perdem tempo me julgando, eu 
quero mais é dar! 

Yasmin Bardini.

domingo, 15 de abril de 2012

E o Facebook que se exploda!

Pra mim quando se trata de Facebook e homens, o meu principalmente, acho que essa rede social que me entretem, que me diverte e que por vezes me tira de toda essa tensão do dia-a-dia vira um inimigo quase mortal!
Porque diabos, os homens só conhecem piranhas? Quero dizer, nós sabemos que existem mulheres decentes, legais, de boa índole, com princípios. Como essa que vos fala e essa que me lê, mas porque os bastardos broxas insistem em manter contato com aquelas jagunças que eles sabem que vão nos tirar do sério?
Será que não os ensinaram a escolher muito bem as amizades?
E dai, ficam aqueles posts com aquelas malditas curtidas, com os comentários que ninguém está nem interessado no que está escrito, só se quer se mostrar o máximo que der.
E aí após uma agradável leitura de um " Lindooo, saudades de vc..." em um dos posts do SEU HOMEM, você quer atirar uma bomba, dar tiros, enfiar facas, mas não, você, educadamente, como uma lady, tenta em um momento oportuno tirar as informações que lhe convêm. E a resposta é um vago : "É uma amiga... você não conhece..."
Jura Einstein? Nossa, acho que te escolhi pra ser meu, porque você deve ser um gênio mesmo!
Se estou perguntando é porque quero passar a conhecer. Mas será que eu quero? Será que vale a pena?
Deixar-se envolver por esses blábláblás sem fim é pedir e implorar por um desgaste da sua relação e seu.
Me deixando levar por esse mundo insuportavelmente virtual acabo me esquecendo do mundo real.
Acabo esquecendo de quem sou eu, do que vivo entre quatro paredes e do quão bom é.
E impregno tudo com a leviandade do mundo.
Quer saber? Hoje não, hoje vou viver o que é meu. E nada de deixar quem não deve entrar.

Yasmin Bardini.

Sua vida perfeita e a minha cheia de palavrões!

Ando meio sem jeito falando muitos palavrões, se você acha feio ou me retém o título de rebelde por pudores desafortunados, por favor nem continue lendo. Sou desaforada.
Vou te contar trajetos de vidas reais, para você que acha que sua vida está uma merda, junte-se as boas... merda por merda, dizem que é sorte. E para você que diz ter uma vida perfeita, com amigos perfeitos o namorado perfeito, e sei lá mais o que perfeito, sua vagina deve feder! Então vai pra lá. 
Em conversa com aquelas malucas, entituladas amigas, percebi que no quesito homem estão todas num saco de bosta! Uma ama tanta gente que acho que seu suposto coração tem o comprimento de um intistino. A outra fica num vai não vem, de um zé ninguém que ama diferente demais. Tem lá aquela que se deixa exagerar pela aparecencia do tipinho "quero chamar atenção" e ela cai na pilha, se deteriorando de pouco em pouco. A verdade é que dentre essas ainda tem uma com um namoro de dois anos e lá vai quebrados que se mantém as escuras e seria novidade pra muita gente.
Pra porra com sua vidinha perfeita, de quem fala demais! Oxi... Só fotos bonitas, você faz cocô em algum momento? A verdade é que pra quem não me conhece ou pouco sabe de mim, encontra desenhado na caroça um sorriso torto que sorri pra todos (se, é claro, eu estiver a fim de)! E que se faz feliz.
Preciso de um analista, ou será verdade que não se trata do tamanho do problema, e sim do seu tamanho?Me dou ao direito de ser rabugenta e mandar uns foda-ses, criar rivalidades, ser competitiva, chata, inflamável. Me dou o direito clichê do não mexe com quem tá quieto e de deteriorar sua imagem se me me fizer mal.
Ahhh, você acha isso errado? O cu tá te esperando.

Penélope Pren.

sábado, 14 de abril de 2012

O cala boca me cai bem.

Cansada de tanta gente chata! De probleminhas iguais. Me incluo nessa.
É, são todas as mulheres reclamando de um detalhe masculino, da amiga estranha, da calça que não fica bem. Dos homens falando de futebol, com uma maneira muito prática de lidar com a vida ou então fazendo tipinho para serem percebidos.
Tô cansada da arrogância dos conselhos, como se sempre fosse dar certo, se eu seguisse tudo o que me dizem. 
Mas estou mais cansada ainda da falta de caráter que insiste em nos seguir. Da falsa moralista, do falso conceito de certo, da que sempre te apoia e não consegue ver defeitos, da que só vê defeitos e nunca te apoia.
Cansada de tentar achar a melhor saída. Cansada dos cliclês de quem diz estar sempre tendo a atitude mais coerente e se você for você mesma, vai ser mais feliz, mandando o mundo pra casa do caralho, como se isso fosse a solução dos problemas.
Cansada com a falta de discernimento desse povinho pequeno que acham que o importante é agir de acordo com o que a cabeça pequena entende. Cansada de ser escondida, cansada de ser mascarada, cansada de ser menos do que quero.
Mas, o caminho certo não é me expor, às vezes esperar é a melhor saída. O acaso é o meu, o destino já está descrito.

Penélope Pren.

Na hora da emergência


Não está fácil pra ninguém, já diria uma velha amiga! 
E não estando fácil encontrar o que se quer. No quesito "sexo oposto" é quase, impossível. 
O que te agrada? Moreno e alto? Loiro e gordinho? Olhos verdes ou marrons? 
A questão não é física... Que tal acharmos um homem tão bom com a boca aberta tanto quanto com o zíper aberto? Missão difícil, né? 
Como a situação está complicada... Que tal encontrar um que seja bom nas duas alternativas e simplesmente fazer dele o seu companheiro de aventuras?
Mesmo que não role sentimentos românticos...
Pensem comigo caros amigos, não seria de uma grande ajuda, ter a quem recorrer em tempos de escassez... E o melhor, alguém com quem se identifique, com  quem  se goste de dividir o tempo, que nos conheça na cama... E porque não, um pouco fora dela? 
Quem nunca teve um amigo pras horas de emergência?
Quem nunca, quis ter? 
Não tem como ser ruim.  Mas tem que saber escolher, tem que ter o dedo e o “feeling”.
Afinal a cama da gente, não é lugar pra qualquer um. Porque a intenção é ter alguém com quem se divertir e não um robô que só sirva pra finalizar o serviço que o corpo implorou pra começar!
Vantagens de se ter uma pessoa fixa sem ser fixa? 
Posso pensar em um milhão delas! 
Mas a melhor de todas é não depender de qualquer um pra ter as necessidades atendidas e correr-se o risco de ficar a ver navios quando o corpo pede arrego e não se aguenta mais de tanto sentir!
Então amiga, se você já encontrou o seu candidato perfeito a "amigo com benefícios", vai lá...
Liga, chama e se joga e não mais sinta sede sem poder matá-la!

Yasmin Bardini.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Não sou legal! E sim, eu estou te dando mole...

Há mal entendidos, eu sei... Muitos aliás! Quantas vezes você achou que fulano tinha falado algo de você porque um outro alguém deturpou um pouco a verdade?
Ou achou que ia conseguir uma promoção porque as coisas estavam muito boas pro seu lado e dessa vez seria diferente?
Enganos, erros de leitura dos momentos e situações.
Situações que parecem uma coisa e interpretamos de uma forma completamente longe da realidade.
E os muito legais acabam sempre tidos como "trouxas". As mulheres muito simpáticas como "fáceis".
E os demasiadamente sinceros como "arrogantes".
Conheço uma frase que define bem isso... "Sou legal, não estou te dando mole...".
Mas e se todos esses erros de leitura forem de fato a verdade que ninguém quer olhar nos olhos. 
NÃO, eu NÃO sou legal. Eu estou te dando mole e você não percebeu ou não te interessou perceber e eu sem saída, resolvi me vestir de legal e sair ilesa.
Eu definitivamente não sou TÃO simpática, sou uma mulher comum querendo ele e querendo que ele me queira. E se não der certo, eu simplesmente me escondo atrás da minha grande QUALIDADE de ser "comunicativa".
E sim, eu sou arrogante pra cacete.
Afinal, alguém aqui é dentista? E eu preciso ficar mostrando os meus dentes por aí?
Escondendo tudo atrás de um sorriso simpático, só porque é mais fácil!
E quem nunca vestiu uma máscara, só pra fazer da vida um pouco menos complicada?

Yasmin Bardini.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Vamos conversar?


A vontade de mudar um relacionamento é muito inconveniente. Ela te arrebata a rotina e tira sua cabeça do eixo, e você pensa é hora de mudar. O que? Como? Por onde começar?
Tudo está na mais perfeita ordem, quando as coisas perdem a graça. Mas o amor, se mantém. Precisa-se dar um sacode no dia a dia! 
Mas o que adianta comprar uma lingerie nova, se você não quer se superar na cama? Vai ficar no tradicional papai e mamai, e deixar aquela quentura toda exposta com qual intuito?
O que adianta, se transformar na cama se aquelas mentiras bobas permanecem como obstáculo, para se manter um medo autoritário?
O que adianta falar toda a verdade, se a pessoa que escuta só te julgará por isso e você não fará o mínimo para melhorar?
E o que adianta melhorar, se o outro não percebe que há necessidade da mudança?
O que adianta se permitir a ser metade, se você se torna infeliz com suas escolhas?
Converse antes de tentar essas façanhas... Os pontos nos is fazem toda a diferença.
Ser solteiro é bom até o momento que a carência aperta... Ter uma relação é a incansável busca pela perfeição cheia de erros!
Bons erros...

Penélope Pren.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Muitos e muitos capítulos ainda virão


E conversando outro dia sobre insegurança com umas amigas...
Uma delas não pode acreditar muito no que eu dizia... E reiterou a pergunta deixando bem claro a sua dúvida: “Como assim você nunca se sentiu insegura?".
E eu respondi que sim, muito insegura com relação à insanidade e ao mau gosto alheio.
Mas nunca, nunca mesmo me sinto insegura com relação à mulher e a pessoa que eu sou.
E isso não quer dizer que eu não tenha nenhum defeito, longe disso!
As mulheres sempre acham que tem algo errado, elas querem menos quilos, mais bumbum, cabelo liso ou enrolado. O fato é que ninguém está totalmente satisfeito. E mulher, muito menos.
Mas eu me agrado, me encho de tesão... Sim, sim e sim e digo sem falsa modéstia.
Intelectualmente também me garanto.
Acima de tudo, confio em mim!  E se me perguntarem como atingi tal estágio de evolução, eu responderia: “Cuidando de mim, me gostando, me enchendo de livros, música boa, bebidas
gostosas, amigas, risadas e homens, bem safados, doidos, canalhas, bonzinhos, respeitadores e com eles muitas histórias..."
E o mais importante, nunca deixando de ter um puta tesão pelo próximo capítulo!
Muitos e muitos capítulos ainda virão...

Yasmin Bardini.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Decepção.

Eu, romântica, ingenuamente, como sempre, acreditei em um homem, de novo. Separada de um casamento de 20 anos, isso já fazem 10 anos. E depois que você pensa que já viu tudo, entrei pelo cano de novo, acreditando em quem?
Homem, Homem...
Romantismo!
É o mal de nós mulheres, porém, não podemos viver sem eles e nem eles sem nós. 
Então, acreditando de novo em homem, caí no "conversê" do amor. Ah!
Ser amor, ser romântica, ser amada, ser paparicada, enfim...
Beijar muuuito na boca, transar até cansar, viver com ele na cabeça o tempo todo, perder a hora. Esperar ele ligar... Ele vai me ligar... Liga.
Ué, ele não liga?! Liga sim, ele também está apaixonado, ele mostra que está. Nossos momentos são eternizados por olhares que dizem tudo. Ele está encantado por mim. 
Ai, ai, desabou meu mundo.
Tudo ia bem até eu entrar na internet e vê-lo clicando com outra mulher, com tamanha intimidade, que me embrulhou o estômago, me mudou o humor.
Mato ela agora, depois? Mato ele agora, depois?
O que? Se eu me mato? Nunca. Me amo muito, me curto muito, sou apaixonada pela vida, e quer saber? Como ele veio, vem outro. Vai um vem dezoito.
Tô decepcionada, tô é puta da vida.

Agora o foco sou eu, eu, eu, eu...
Boa noite homens!

História enviada por leitora Gatíssima.

As reticências...

Careta, para de reclamar um segundo e faz alguma coisa que preste!
Desculpe meu bem, não estava falando com você, estava olhando pro espelho e analisando meus olhos de rancor, olhos de quem sabe reclamar muito bem! Olhos que se inspiram em sentimentos pequenos para manter sua raiva viva.
Deixe-me lembrar... Tô sacolejada de perturbações individuais. 
O emprego perfeito, o casamento feliz, as amigas leais, as unhas que não quebram, o filho inteligentérrimo, as verdades dos outros, a tolerância, a paz mundial, um cachorro que não cague... Eu tô esperando... a felicidade chegar!
Felicidade é uma coisa inalcançável, princesa. O verdadeiro encontro com essa tal alegria é a busca para encontrá-la... É o aperfeiçoamento do seu olhar à vida. Busque acreditando no pote de ouro e tenha boas fotografias para recordar.
Sentada em uma padaria junto com uma amiga, um senhorzinho disse-me que o segredo da vida está no amor das crianças, no amor sem culpa e sincero, na confiança enganada, na falta de malícia... Supere! A cada nova geração, um pouco desse amor é perdido.
Nos tornarmos adultos achando que seria bom, seria bom tomar as rédeas incrédulas do moralismo político, que cada pessoa que entra em nossa vida, quer passar de forma diferente.
Platão, Aristóteles, Freud! Cabeças ocas, ninguém explica! E cabeça cheia... Cheia de teorias! 
Pelo menos busque a verdade e aproveite enquanto tenta procurar sua felicidade, mais tarde você descobrirá o quanto estava sendo feliz...

Penélope Pren.

H de homem? Não... H de Hombridade

Valentia, verdade, coragem de ser quem é... Hoje, acho difícil encontrar um homem que seja macho o suficiente pra carregar o fardo pesado que é ser HOMEM.
Mas homem mesmo. Agir como tal, falar o que pensa sem ser grosso, saber conquistar uma mulher, fazendo com que ela o queira por que ele é irresistível, porque ele a trata como uma mulher de fato. E não como qualquer outra. (Tá certo que nesse quesito, a mulher também tem que ajudar né? E ajudar significa não agir e se comportar como qualquer outra). Não somente por que ele tem algo de que nós gostamos muito balançando entre as pernas, porque tem um carro que faz “vrum, vrum” ou uma conta legal no Banco e achar que isso o dá poder pra ser um completo porco chauvinista.
Não digo que o homem tenha que tratar todas como princesas, não! Simplesmente porque algumas nem merecem!
E tratar como princesa nem significa respeitar!
Homem que é homem vai te tratar bem! Vai te fazer sentir bem na companhia dele. Vai ter palavra... Mesmo que passem pouco tempo juntos será um tempo muito bom. Não precisa me apresentar pra família, não precisa me chamar de mãe dos seus filhos, não precisa fazer nada que ele não queira. Mas tem que ter coragem de expor suas ideias, vontades.    
Mas também não vale tratar as mulheres mal e depois reclamar que nenhuma presta! E ainda culpá-las pela sua solteirice e falta de boa vontade em lidar com o sexo oposto.
Se for pra escolher um lado, seu fanfarrão babaca, escolha logo!
Porque a vida é curta e ninguém tem tempo a perder com gente que nem sabe em qual lado se encontra.
Se fazer de vítima? Coisa de gente pequena, covarde, mas depois de tanto que se recebe desse tipinho de homem, nada mais é surpresa!
Não se acostume com o tipo errado, não se contente com menos do que você merece.
Porque se tá faltando hombridade da parte deles é porque está faltando pulso firme da nossa!

Yasmin Bardini.