quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Falando da outra...

Traiçoeira essa menina, que coloca a voz em mim para dar ação às suas vontades tortas. Não, "péra" lá! Do muito que eu a conheço, ela só está tentando se figurar, colocando a capa inventada dela mesma, para seguir em frente, pra trás e pra frente. Frente.
Ela é insegura, envergonhada, medrosa. Precisa só de um empurrãozinho, para se deliciar com o quê a faz vibrar. E eu? Estou aqui pra isso. Superar ou subir as barreiras que ela cria, desestruturar tudo nela, já que isso a faria desistir, e veja bem! Não apenas por teoria, mas ela tem tanto medo das consequências (sem perceber que a vida sem consequências é enfadonha), que deveria ser uma planta estrategicamente plantada ao sol.
E eu sempre digo: até o cara mais certo, até o melhor emprego, até a situação mais viável... tudo isso? Tudo pode dar merda. Então rapariga, aproveite o tempo que tem pra sorrir, e saia antes de começar a chorar. "Como se fosse simples", ela me diria. Simplicidade é questão de ser ou de estar. To be. Só seja. Só viva. E se ainda assim, der merda, jogue pro alto, fale uns palavrões, limpe a bagunça.
Menos um dia pra você viver, gatinha. Deixa de me expor e vai... lembra? Pra frente.
Solta a mente, demente! Abusa da tua imaginação fértil. E fica tranquila... De dor de coração ninguém morre, não.
Beijo, qualquer coisa me chama!

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Aumenta o som

A conquista quando se é mulher...
… você não pode mandar mensagem, nem ligar, nem muito menos ficar puxando assunto, mas tem que saber dosar de uma forma para que aquela que liga, manda mensagem e puxa assunto não passe a sua vez. Bem complicado.
Com essas instruções decoradas e bem ensaiadas, você se controla, fica sem nenhuma unha depois de roer todas, fica com dor de barriga, sem sono, todos os sintomas de uma mulher presa aos bons costumes modernos.
O final de semana vem chegando e com ele as gotas de álcool também, então é só ingerir essas gotas e ler ou escutar qualquer coisa do tipo “vaaaaai minha filha esta esperando o que?” que nós meras princesas sem reinos, passamos a mão nos nossos celulares e mandamos mensagem, ligamos, puxamos assunto e de nada adianta, o arrependimento vem a cavalo... Vem com as atitudes que você sonhou sem dormir e ele não fez nada com a sua mera vontade de estar junto.
Não existe cartilha para um romance dar certo, não existe o “não vou ligar”, não existe uma forma ensaiada.
Já vi casamentos se concretizarem com uma mulher que deu logo de primeira, já vi namoro de dez anos acabar com a mulher ter perdido a virgindade depois de meses de namoro e já vi também os homens caírem nessa regra de mulheres que se fazem de auto suficiente.
Dance conforme a música, dance conforme sua música...

Íris Prieto

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Futebol e mulheres, por que não?!

“Futebol é assunto de homem.”
TEU CU!
Me dá uma raiva tão grande esses homens que acham que o mundo futebolístico pertence somente a eles e que as mulheres não devem nem passar perto.
COM LICENÇA!
Gosto e entendo mais de futebol do que muito homem por aí. Homens que mal sabem o nome do “Camisa 10” e do goleiro do seus times. E olhe lá... Existem aqueles que nem isso sabem!
Se quiser eu te digo a escalação completa, com direito ao banco de reservas, treinador e preparador físico! Quiçá o nome do presidente do clube e dos demais dirigentes.
Posso te falar a data em que ele foi fundado, os títulos que ele possui e mais do que isso, eu poderia te contar também sobre os lances mais importantes do último jogo. Porque sim, eu assisto todos!
Sei cantar o hino de trás pra frente e todas as músicas da torcida.
Sei o significado dos termos como “categoria de base”, “escanteio”, “impedimento”, “zagueiro”, “balão”, “volante”, “drible da vaca”, “ovinho”, “elástico”, “chocolate”, “tiro de meta”, “centroavante”, “beque central”, dentre outros. Assim como também sei a diferença do esquema 3-5-2 pro 4-4-2, por exemplo. 
Sou desse tipo de mulher que troca fácil uma sessão de compras no shopping, por uma ida ao estádio, pra me juntar a outros milhões de apaixonados que ali, naquele local, durante aqueles noventa minutos, esquecem qualquer dívida, qualquer estresse do trabalho, qualquer problema amoroso. Todos juntos em prol daquele time. Todos comemoram juntos, sofrem juntos e depois voltam para os seus dilemas da vida real.
Gosto pelo futebol é algo que não se ensina e nem se aprende. Você nasce com ele. Independente de sexo, cor ou religião.
E sim, sou mulher e vou continuar dando os meus pitacos, metendo o bedelho nas mesas redondas, indo ao estádio, assistindo os jogos e demonstrando amor infinito ao meu time do coração.
Coisa de homem?! Coisa mais do século passado... Isso sim!

Texto de um leitor(a).

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Seja apenas mais um

Uma chuva nos fez sentarmos na mesma mesa e podemos trocar mais que olhares, algumas palavras e muitos risos frouxos, uma madrugada fria.
Tem um tempo que não sinto meu coração disparar e não sinto minhas pernas tremerem, nem muito menos chegar em casa sem fôlego.
Mas com você eu senti uma vontade de voltar, minhas pernas não tremeram, meu coração não disparou, mas cheguei em casa sem fôlego, com rosto arranhado de sua barba pra fazer… e disposta a colocar algumas 8 ou 9 borboletas no estômago.
Não venha ser mais um sapo, não seja só mais um, mas se for mais um, seja mais um por completo, seja mais um que me pegue de jeito, que me encha de mensagens, mais um que me abrace forte, querendo apenas que você seja mais um na minha cama e que acorde comigo, quero muito que seja mais um que volte aqui e me arranhe um pouco mais com essa sua barba pra fazer.

Íris Prieto


domingo, 18 de agosto de 2013

Pra onde fica?


Me roubaram o direito de ser fraca, mas não de fraquejar. Eu não tenho olhos para olhar, mas já sei que vou fraquejar. Não tenho cheiro para sentir, mas já sei que vou fraquejar. Não tenho ele mas sei, sei sim, que vou por fim... vou fraquejar. Entendam, não sou fraca. Quer um drink?
A gente vive na nossa bolha particular, respondendo perguntas a nós mesmos para tentar achar a pessoa que supostamente você é ou deveria ser, mas a verdade é que não é assim que o corpo funciona, quando a pele fala, não tem muito como discordar. 
Ela parou com os olhos baixos e respondeu calmamente: Olha só, eu sou gente. Eu me esfrio, me aqueço, sinto falta, perco a cabeça. Enterneço. Me emputeço. E normalmente estou no lugar que eu quero estar. 
Não me reprima. (Totalmente auto resposta!)
Menos no que dizem, mas muito mais no que você sente que é capaz de viver, tão intensa garota! 
Tão intensa... tão garota, por que será que às vezes eu mesma me canso? É cabe na sua vida muito mais do que você é capaz de ser.  Isso foi pra mim? Me confundo....


Penélope.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Entrando no molde

Tenho aflições prematuras e desejos incontroláveis. Sou ansiosa, quase corajosa demais, para fazer todo o contrário dos conselhos que recebo. Gente que não quer te ver triste, te fala para fazer exatamente o que te amargura: desistir, não fazer. Não, não, não. O não bate na porta com a exatidão clara de quem nunca tem dúvida, com o raciocínio lógico de quem vê matemática em tudo. Quem gosta de um não? Com sal e pimenta cai mal a beça, e normalmente é assim que esses 'nãos' são oferecidos, ardendo a gastrite, diminuindo a minha serotonina.
Dê-me licença, eu sou lúdica.
É tão intensa a vontade de viver uma história (ou loucura), de se mover em direção à adrenalina, que a gente para de perceber quando está fazendo do acaso, aquelas histórias "sem", e morre de falta: Falta tudo, dizer o que não devia, beijar quem não podia, dormir mais que devia. Tem regras a serem burladas para que o coração pulse.
E por acaso, afortunado ou não, tô cansada de delongar. Venha comigo, se achar sentido nisso.
Dope-me. Você aí, por que eu comecei com isso? Por onde começar agora que o começo já é outro? Será que eu estou sempre começando?
Quase sempre é quase. É bom pensar "você", e conceber essa ideia me faz ficar no azul... flutuando. E com essa perspectiva entenda: Você me destruiria se quisesse. O sentindo é o mais bonito e caótico de todos. Você quer?
Você pode, por favor, parar de me deixar corada com seu jeito encantador? Eu já tinha esquecido que a conquista é melhor que blush. Ruborize-me. Eu tô ficando embreagada de pensar de em você.
É porque pra mim, não existe vida de verdade, só existe vida. E no fundo, lá no fundo, eu quero meu universo remexido. Quem não?
Penélope Pren.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Estamos nos conhecendo

Meu aplicativo de voz mais uma vez apita avisando que tem uma nova mensagem.
Apertei o play e sua voz reproduziu um "Saudade de você, gata!", não estava nem pensando nele, mas naquele momento senti saudades também.

Ele chegou depois de mim, quase no início da manhã, o amigo dele era amigo dos meus, trouxeram uma vodka ruim e tive a impressão dele ser um metido, mas era só timidez. Eu estava lá com algum copo de bebida na mão e algum cigarro em outra. Era um daqueles dias que você se sente completa, dona do seu mundo perdido, querendo quebrar qualquer regra... E então conversamos, nos "conhecemos" de uma forma bem sutil que me deu o prazer e vontade de continuar conhecendo até hoje. 
Nos conhecemos de olhos fechados, nos conhecemos com o coração aberto, nos conhecemos nos desabafos, sendo anjos, nos conhecemos com brigas e ciúmes bobos, nos conhecemos em abraços apertados, nos beijos estalados, no orgulho de te ver correndo atrás dos seus objetivos, nos conhecemos na palavra amiga, na pirraça, no carnaval, em bares, em confiança... Ainda estamos nos conhecendo, estamos nos conhecendo com a saudade, com a distância da vida de gente grande, com as palavras corridas de uma rotina cansativa.

Uma realidade completamente diferente da minha que adoro conhecer, por mais que seja um homem com sua barba no rosto e responsabilidade nas costas, ainda te vejo como um menino, talvez por ter apertado tanto a tecla que era um “broto” o que não é verdade.Te vejo com a vontade do melhor, mesmo que tenha várias cicatrizes, te vejo sem machucado, te vejo sendo o melhor. Eu acredito em você, mesmo que ainda esteja só te conhecendo.  

Raquel Loureiro 

Com raiva é mais gostoso... Ou mais amargo!

Que raiva que eu tenho dessa mania de ser refém, de querer 
que alguém queira me controlar ao ponto de, de fato, fazê-lo.
Que raiva que eu tenho, de mim, dessa mania, de você, dela, do seu 

casamento, da sua bolha egoísta, do seu sorriso inquietante, do seu cheiro, do seu sorriso, da sua voz...Que raiva do seu descaso, que raiva do seu sôssego, que raiva , que raiva da sua calma!! Como se eu fosse esperar eternamente por um lampejo do seu olhar. Como se...
Mas não vou e você precisa saber disso.
Sinto uma raiva descomunal que nem é própria. Porque eu nem 

sou sua, eu nem quero ser. 
Mentira! Eu quero, quero sua cama, 
seu cheiro, sua língua nos meus espaços totalmente vazios. 
Não quero o peso de ter você pra mim, não quero roubar você da 
vida que você ama por um capricho, não quero chorar, não quero 
ser mesquinha, não quero ser menos, não quero olhar pra trás e me 
sentir mal, não quero mais ser vítima dos meus pecados e nem mais, 
entregar o controle do jogo. Eu quero dar as cartas ,eu quero que 
você fique sem ar, eu quero você sendo minha presa mas mais uma vez, é tarde demais.
Mais uma vez, eu já me entreguei antes mesmo de saber seu nome. 

Mais uma vez...
Mais uma vez, eu não soube guiar meus passos.
Eu não soube ir com calma e me apressei como sempre faço, na ânsia de te ter.
Mais uma vez...E você?
Se sente na cômoda situação de ditar o tempo, a hora ,como e onde. 

E MAIS UMA VEZ, eu aqui não querendo ser coadjuvante mas já 
sendo ,porque a protagonista já é outra muito antes de mim. 
Mais uma vez, você sabe que o meu querer é certo e mais uma 
vez tudo o que pode ser bom, se transforma em uma tortura 
me fazendo assim, querer demais pra em seguida, desistir. 



Yasmin Bardini.