quarta-feira, 24 de junho de 2015

Tanto tempo depois

A verdade é que eu fiquei super feliz porque você voltou. Quando você chegou, eu te olhei da mesma maneira, com vontade de te abraçar e te desejar um bom retorno e te apertar de novo! Curtir minhas ondas, beber uma cerveja, trocar uma ideia. Meu amigo voltou! Mas a parada é que você é inconstante e tem uma má reputação na fila do pão francês. Você começou a marcar presença e eu? Comecei a confundir amizade com interesse, no momento que eu fugi do chão, do papo e da ideia de ficarmos sozinhos. No instante que meu olhar se prendeu no seu por mais meio segundo. É normal confundir amizade com interesse quando você entra em sintonia com as borboletas. Elas se atiçaram um tanto, depois daquele beijo travado no tempo de tanto tempo e depois de tantos anos, e depois... E depois você não apareceu do jeito que eu quis. É cara! É difícil falar que eu te quero quando existe uma intimidade prévia do “a gente”, e essa ansiedade do “vai que” sempre me matou um pouco! Eu sorri discretamente porque falei sobre você. Talvez eu tenha vontade de te dizer isso... E depois arrancar sua roupa. Talvez eu quisesse que você já tivesse arrancado a minha. O problema é que eu sempre me meto nessas furadas loucas. Pulamos a parte de nos conhecer, já nos conhecemos bem, muito bem... E você vai embora em pouco mais de um mês, eu sei o motivo mesmo sem que você precise me dizer. E no final das contas, você vai voltar pra lá de onde veio quando eu fiquei super feliz. Veio pra cá me deixar esse beijo “top 5”, e sendo como for, ou como foi, de uma coisa nós temos certeza: Vai acontecer de novo...


Íris Pietro.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Nada muda

Você estava de blusa social, você me queria e eu te queria também. 
O meu jeito insensível se encaixou perfeitamente com o seu jeito estúpido de ser e nos mantínhamos a margem. A tal margem de segurança, que por diversas vezes falávamos algo e logo atrás vinha a continuação com um bom, falso e sonoro "to brincando". E essa frase ecoou algumas vezes, me escondi e você se escondeu também. Não sei, talvez você tenha mudado, talvez eu tenha, só siga meu conselho, fica bem longe de mim, não passe sua mão em mim, não respira perto, pegue tudo e vá embora. Apesar de eu achar que não tenha mais nada pra levar. Então pegue a sua respiração, a sua mão e os meus desejos e leve com você.
Tô brincando!
Tem coisas que não mudam...

Íris Pietro.